Como aliviar a exaustão dos funcionários em época de COVID-19 | IMF Business School Blog
IMF Business School

Entidade colaboradora de:

Universidad Nebrija ISPA I.E.S.F. LSDM Universidad Camilo
MENU

Encontre a sua formação:

Contacte-nos:

(+351) 217 960 356

Contacte-nos

+351 217 960 356

De fora de Portugal

217 960 356

A partir de Portugal

Contacte-nos por Whatsapp

+351966021958

 

Pedir Informação

MENU

>>

Como aliviar a exaustão dos funcionários em época de COVID-19

12-05-2021

Desde o início do tsunami com o qual vivemos, COVID-19, há um sentimento generalizado de exaustão em imensas pessoas. Nas organizações, desde os Recursos Humanos continua-se a trabalhar para que o esgotamento seja reconhecido, gerido e transformado em algo muito mais positivo. Aliviando-o para que a pessoa possa seguir em frente.

 

Quando falamos em esgotamento, atualmente, parece que há uma conversa em família. Porque não estamos a falar apenas de fadiga física. É sobre algo mais profundo, é por isso que referimos o COVID-19. Estamos perante uma situação que nos causou bastantes danos emocionais. No campo profissional é impactante, porque inevitavelmente somos humanos antes, e profissionais depois. Portanto, tudo o que estamos a passar nas nossas vidas afetará o nosso trabalho.

 

Até há um ano, podíamos falar do stress associado ao trabalho, aquela sensação de exaustão que poderia ser física ou emocional, que acaba por nos limitar no nosso dia-a-dia. Mas o esgotamento não é algo que um médico nos diagnostique. Talvez, por isso, é algo que não damos a devida importância e não é considerado motivo para ser consultado por um especialista. Mas, prejudica e impede-nos de potenciar ao máximo as capacidades e empregá-las de forma produtiva. E é aí que os RH devem atuar e zelar pelos funcionários da empresa.

 

Ficar stressado é algo incompatível com sentir um bem-estar e ter uma boa saúde mental. Mas devido à COVID-19, há relatos de que mais de 35% das empresas estão a lidar com esse esgotamento dos seus funcionários. Muitos deles já estão a tentar fornecer o suporte, oferecendo programas aos funcionários.

 

Vivemos tempos de grande incerteza, de grande ansiedade e é inevitável que a nossa saúde mental seja afetada. O facto de trabalhar em casa com tudo o que lá também vivemos pode estar por de trás dos altos níveis de exaustão. O teletrabalho tem levado muitas pessoas a admitir que trabalham mais horas do que o normal. Há a necessidade de trabalhar para aproximar as pessoas do ponto de vista emocional, dentro das equipas.

 

 

Esgotamento nas organizações

A exaustão na empresa pode ser indicativa de algo relacionado ao trabalho, mas neste último ano experienciámos situações muito delicadas, suficiente para afetar toda a nossa vida. Essa exaustão emocional pode levar a outros distúrbios mais graves, como a depressão. Portanto, temos consciência do que estamos a sentir, para fazer o que é melhor para nós.

 

Para identificar se tem um princípio de esgotamento, deve fazer perguntas a si mesmo que o aproxime da resposta. Está a ser difícil iniciar uma rotina? Está mais irritado? Sente falta de energia? É mais difícil de se concentrar? Sente que tem descansado mal? Tem preocupações que  perturbam mais do que o normal? Sente-se cansado, com dores de cabeça ou físicas que não consegue associar a nada em concreto? Estas perguntas podem ajudar a descobrir se sofre de esgotamento ou não.

 

Neste caso, é importante ser acompanhado pelas pessoas certas, de forma a ajudar e ultrapassar esta fase mais delicada. Dessa forma, é necessário que, dentro das empresas, a saúde de todos os colaboradores seja tida em consideração e acompanhada de perto. Agora, mais do que nunca, o bem-estar é primordial e esse esgotamento pode ser algo que, se não for resolvido, tornar-se-á mais importante.

Porque nos sentimos exaustos?

 

Dizer que é devido à COVID-19 seria correto, mas ambíguo. A verdade é que por de trás das verdadeiras razões esconde-se o porquê de cada um estar a ter esta experiência. Em algumas pessoas, deve-se ao medo e a um excesso de preocupação com o que futuro pode trazer e as suas consequências. Em outros casos, o acumular de vários meses em confinamento obrigatório, obrigou-nos a adequar hábitos e estabelecer rotinas impostas, limitando a liberdade.

 

Às vezes, a falta de controlo emocional pode provocar momentos de sofrimento. A sensação de impotência, de não impactar de forma alguma o que é feito. Em psicologia, isso é reconhecido como desamparo aprendido. É um conceito que pode ser o prelúdio da depressão. Isto, acontece quando acreditamos que nada de positivo pode alterar o rumo dos acontecimentos, conduzindo ao desespero.

 

Outro motivo pode ser o caos vivido dentro da empresa. Quando em situações normais existe uma determinada estrutura que a sustenta, em momentos de desequilíbrio, pode dar-se o caso de experienciarmos disfunções no ambiente de trabalho. Isso pode levar à exaustão e a uma sensação de stress contínuo que não é benéfica.

 

Ao sentir que não tem apoio dentro da empresa, poderá conduzir ao esgotamento, sentir-se isolada, sem compreensão, originando desinteresse, quebrando a motivação e também o compromisso.

 

A exaustão nas pessoas é percetível ao detetarmos fadiga, dificuldade em dormir, stress instalado, irritabilidade, etc.

 

 

Como aliviar a exaustão

Estamos a falar de algo que a pessoa sofre, não o profissional. Ou seja, o profissional é afetado, mas não seria se a pessoa não o vivesse. Portanto, o mais importante é abordar o problema com o cuidado e a sensibilidade necessária. A questão da saúde mental sempre foi algo que, por parte da organização, sensibilizou, mas que não entra na esfera profissional. Fazer esta dissociação é um grande erro.

 

Ter um problema parece criar obstáculos e ninguém os quer. É algo relacionado à pessoa, portanto, não tem sido visto como algo que deveria ser coberto pela empresa.

 

É claro que a COVID-19 não entende funções ou hierarquias. Está a afetar todos de igual forma. Então, desde todas as áreas começou-se a trabalhar no sentido de ter em consideração o verdadeiro bem-estar das pessoas, entendendo esse cansaço e fazendo algo para amenizá-lo.

 

 

Ouvir

Quando uma pessoa se sente ouvida, o seu nível de ansiedade reduz. E é aí que também podemos reduzir a esgotamento emocional. Ouvir significa ter empatia, compreender a frustração que a pessoa está a sentir. No final, essa empatia pode fazer com que os outros compartilhem, e é gerado um vínculo que ajuda outras pessoas que inicialmente não entendiam a situação. Além disso, quando um diretor partilha a sua própria situação e é demonstrado que ele também sofre do mesmo, os funcionários vêem-no como alguém próximo e tão vulnerável quanto eles.

 

 

Maior comunicação

 É importante aumentar a comunicação com os funcionários, para existir uma aproximação o mais física possível. O sentimento de isolamento gerou muito cansaço e devemos aliviá-lo comunicando mais. É normal fornecer programas que nos deem diretrizes e recomendações para cada pessoa fazer. Mas é vital que não esqueçamos o poder de nos relacionarmos com os outros.

 

Muitas vezes, para algumas pessoas, ficar perto e comunicar tem um impacto maior do que um curso em mindfulness. Conversar com a equipa de forma individual ou em pequenos grupos permite uma maior compreensão. Neste momento, é importante reforçar esta comunicação, fazendo-o com maior frequência. A chave é ouvir honestamente o que cada um sente e como está a gerir o que os acontecimentos. A todos está a custar não poder estar com seus entes queridos, ou a falta de contacto com os amigos, a redução das atividades que mais gostam de fazer.

 

 

Distribuir a carga de trabalho

 Estes meses estão a ser difíceis para muitos sectores, mas é preciso entender que, para amenizar o cansaço, é necessário agora distribuir a carga de trabalho de cada profissional. Valorizar o trabalho de cada profissional e a possibilidade de gerir alguns projetos em equipa e de forma diferente da que vinha sendo realizada até agora. As pessoas sofrem muitos desequilíbrios entre a vida pessoal e profissional e isso gera um stress que as deixa exaustas. Devemos ajudá-las com o que pudermos como organização.

 

Isso também pode ser feito a um nível individual, ou seja, o dia pode ser dividido em pequenas porções de tempo a serem intercaladas com alguns pessoais. Isso pode aliviar o esgotamento e permitir o progresso do trabalho.

 

Estas simples e eficazes dicas podem aproximá-lo dos funcionários e, com isso, amenizar o cansaço, de forma a permitir uma melhor gestão e progredir num ambiente tão complexo como o que estamos a viver.

 


Pedir Informação

X

Aceito a Politica de Privacidade.

Aceito receber informação e ofertas comerciais por qualquer meio, incluindo comunicações eletrónicas da IMF International Business School SL sobre eventos, notícias, novidades e os seus produtos e serviços através da geração de perfis.

Aceito a comunicação de dados a entidades do grupo IMF, com os mesmos fins dos indicados anteriormente.

Descarregar o Programa

X

Aceito a Politica de Privacidade.

Aceito receber informação e ofertas comerciais por qualquer meio, incluindo comunicações eletrónicas da IMF International Business School SL sobre eventos, not�cias, novidades e os seus produtos e servi�os atrav�s da gera��o de perfis.

Aceito a comunicação de dados a entidades do grupo IMF, com os mesmos fins dos indicados anteriormente.

Candidaturas On-line

X
Após o processo de candidatura on-line, um assessor académico entrará em contacto para requerer os seguintes documentos:

- Documento de Identificação;
- Certificado de Habilitações;
- Curriculum Vitae;

Aceito a Politica de Privacidade.

Aceito receber informação e ofertas comerciais por qualquer meio, incluindo comunicações eletrónicas da IMF International Business School SL sobre eventos, not�cias, novidades e os seus produtos e servi�os atrav�s da gera��o de perfis.

Aceito a comunicação de dados a entidades do grupo IMF, com os mesmos fins dos indicados anteriormente.